1. Perfil de empreendedor

Tal como Charles Dickens citou “Um homem nunca sabe aquilo de que é capaz até que o tenta fazer.” Ter um perfil de empreendedor não é apenas ser visionário tem de ter outras competências como a determinação, persistência, criatividade, ter espírito de sacrifício, método, capacidade de liderança, orientação para os resultados e resolução dos problemas quando eles aparecem … e é certo que eles vão aparecer.

 

2. Que tipo de empresa

O empreendedor identifica (ou cria) novas oportunidades de negócio. O desafio consiste em identificar ideias que sejam reais oportunidades de negócio. Este passo é o mais complexo de todos. Que empresa vai criar? Que produto quer vender? Vai apostar num franchising? Aqui, a sua experiência profissional pode ser importante mas na verdade, tudo se resume a fazer algo que se ama e a tentar ser o melhor nisso. Contudo, seja realista, não crie um negócio a pensar apenas em si é necessário que venda.

 

3. Análise de mercado

Não criar uma empresa ou desenvolver um produto de que o mercado não precisa. Assim, é fundamental ouvir o mercado, calcular o seu nicho e qual o melhor posicionamento para o seu negócio tendo em conta, a concorrência. Aprenda a se destacar dos seus concorrentes, para que seja a primeira opção do seu público-alvo, seja diferente e melhor!

 

4. Definir o plano de marketing

O plano de marketing é uma ferramenta poderosa e absolutamente fundamental. É uma ferramenta estratégica utilizada para identificar as forças, fraquezas, ameaças e oportunidades que o mercado proporciona à empresa, estimulando a mesma a estabelecer metas, objetivos e procurar conhecer as necessidades e os desejos dos seus clientes/consumidores. A utilização do plano de marketing torna a empresa menos vulnerável às crises, pois estas podem ser previstas com antecedência. Não se esqueça recorra a profissionais especializados para possuir uma boa estratégia.

 

5. Elaborar o plano de negócios

O plano de negócios será o ponto de partida e a estratégia para o seu negócio. Será também a forma de estruturar todas as ideias e respectivo plano de execução.Tem que definir a empresa, deve incluir a análise de mercado, o plano de investimentos, as fontes de investimento, o plano de tesouraria e rentabilidade, assim como os recursos humanos e materiais necessários.

 

6. Financiamento

Não é fácil conseguir crédito, contudo, se não dispõe dos meios necessários para criar uma empresa há outras opções. Considere recorrer ao microcrédito, a apoios governamentais – nomeadamente o Portugal 2020 que tem sido anunciado como um programa destinado a projetos que criem emprego – ou procure um sócio ou um investidor através de uma bolsa de Crowfunding.

 

7. Criar a empresa

Actualmente, o processo associado à abertura de uma empresa é algo que se faz quase instantaneamente e sem ter de sair de casa, a maioria dos passos podem ser feitos online o que facilita o processo e poupa tempo. Que documentos e procedimentos são necessários:

  • Escolher forma jurídica da empresa
  • Pedir Certificado de Admissibilidade de Firma
  • Solicitar o Cartão da Empresa ou Pessoa Coletiva
  • Fazer a Escritura Pública
  • Declarar o início de atividade (15 dias após o registo)
  • Requisitar o Registo Comercial
  • Inscrição no Registo Nacional de Pessoas Coletivas
  • Inscrição na Segurança Social
  • Inscrição no cadastro Comercial ou Industrial

8. Encontrar um espaço

Avalie se, nestes primeiros tempos, precisa de comprar ou alugar um espaço. Considere outras alternativas, como espaços de co-working.

 

9. Iniciar a atividade

É tempo de definir os sistemas de gestão, as áreas de contabilidade, logísticas e outros que se adequam ao seu negócio. Assegure-se que tudo está operacional e avance com campanhas de promoção da sua empresa e dos produtos.